Saturday, October 28, 2006

TARDE DEMAIS

há um deus guardado no porão
eu o esqueci trancado lá
faz uns trinta anos

vendeu-se a casa
perdi o acesso ao porão

a infância desopilou sem culpas

eu não podia
ninguém poderia
recluso nos próprios dias

demasiadamente sensato e humano
imaginar um deus protegido

aguardando as chaves

2 Comments:

Blogger Cleir do Valle said...

Já sei que eu sou suspeitíssima, mas como não dizer que esse poema é uma MARAVILHA!? Bjo.

5:58 AM  
Anonymous Rodrigo said...

Arromba a porta!

7:44 AM  

Post a Comment

<< Home